Corpo de bombeiros militar realiza captura de cadela arredia com filhote a pedido de associação de animais

A informação recebida pela 7ª CIBM foi a de que 04 filhotes já haviam sido resgatados pela Associação e levados a uma clínica veterinária, considerando que precisavam de cuidados especiais por estarem com miíase (larvas depositadas por moscas) em partes diversas do corpo.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Na tarde desta segunda-feira (09/11/2020), a 7ª CIBM recebeu solicitação, mediante ofício da Associação Protetora Amamos Animais de Alta Floresta - APAAF, para efetuar resgate de animais abandonados em área de mato na1ª Vicinal Leste - Rodovia MT 325 (fundos do bairro Nova), Alta Floresta, tratando-se de uma cadela com filhotes.

A informação recebida pela 7ª CIBM foi a de que 04 filhotes já haviam sido resgatados pela Associação e levados a uma clínica veterinária, considerando que precisavam de cuidados especiais por estarem com miíase (larvas depositadas por moscas) em partes diversas do corpo.

No entanto, a cadela havia carregado um dos filhotes para dentro do mato, sendo muito arisca, não possibilitando a aproximação de pessoas, sabendo-se que foi abandonada na região de mato ainda filhote, lá crescendo e pegado cria.

Deste modo, foi-se ao local informado e, ao se encontrar o filhote da cadela , este foi colocado dentro de uma gaiola de transporte de animais. Montou-se uma espécie de armadilha, deixando a porta da gaiola aberta e com um cabo (corda) conectado à mesma. A certa distância e à espreita, aguardou-se por um certo tempo, até a cadela mãe ter alguma confiança e adentrar na gaiola para retirar seu filhote, quando a corda foi puxada rapidamente, prendendo o animal dentro da gaiola.

Em seguida, a cachorra e seu filhote foram encaminhados a uma clínica veterinária da cidade, onde já se encontravam os demais cachorrinhos resgatados. Os animais terão suas bicheiras tratadas, serão vermifugados, castrados e colocados para adoção responsável.

ORIENTAÇÃO INSTITUCIONAL

A questão da fauna doméstica, nos logradouros das cidades brasileiras, constitui um problema de saúde pública e revela uma realidade de crueldade contra os animais, provocada pelo abandono destes seres.

A melhor política pública e de comportamento dos tutores de animais domésticos, com vistas ao controle populacional, é a castração, evitando-se a superpopulação e consequentemente o abandono indiscriminado de cães e gatos, tanto filhotes como adultos, práticas estas vedadas pela legislação e tipificadas como crime.

A Lei nacional 13.426, de 30 de março de 2017, dispõe sobre a política de controle de cães e gatos.

A Lei 10.765, de 21/09/2018, traz regramento sobre a proteção, a identificação e o controle populacional de cães e gatos no Estado de Mato Grosso.