Inea vai analisar morte de baleia jubarte na Praia da Restinga

Inea vai analisar morte de baleia jubarte na Praia da Restinga

Técnicos do INEA, Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro, vão analisar a causa da morte de uma baleia jubarte macho encontrada neste fim de semana. O exemplar, que estava em avançado estado de decomposição, era de um animal jovem e com peso estimado em 15 toneladas e cerca de 10 metros de comprimento.

O mamífero apareceu morto na Praia da Restinga, dentro dos limites da Área de Proteção Ambiental Estadual de Maricá.

Segundo o coordenador do Laboratório de Mamíferos Aquáticos e Bioindicadores da UERJ, Rafael Carvalho, as baleias dessa espécie costumam encalhar nas praias, quando vêm ao Brasil todos os anos, entre os meses de julho e novembro, para se reproduzirem nas águas mais quentes dos trópicos.

A maior concentração dessas baleias ocorre no Banco dos Abrolhos, entre o sul da Bahia e o norte do Espírito Santo. Nesta região, é possível encontrar mais de 80% das 17 mil jubartes que visitam a costa brasileira. A expectativa de vida desse animal é superior a 50 anos.

Meio Ambiente O mamífero apareceu morto nos limites da APA Estadual de Maricá Rio de Janeiro Sâmia Mendes Tatiana Alves meio ambiente morte baleia Praia da Restinga Inea Rio de Janeiro Tatiana Alves terça-feira, 8 Setembro, 2020 - 14:40 1:55