Facção criminosa quer a cabeça de Gustavo Henrique Albanez

Delegado aconselha que agressores de mec√Ęnico se apresentem à pol√≠cia; Repercuss√£o gerou amea√ßas

Imagem: Rede Sociais

Imagem: Rede Sociais

Com grande repercuss√£o nas redes sociais, a agress√£o do jovem contra o mec√Ęnico por d√≠vida no √ļltimo final de semana, em uma oficina de Tangar√° da Serra (241 quilômetros de Cuiab√°), tomou propor√ß√Ķes nacionais. O caso repercutiu em v√°rios aplicativos de redes sociais e, também, na imprensa estadual e do pa√≠s.

Imagens: Redes Sociais

A viol√™ncia praticada por Gustavo Henrique Albanez contra um mec√Ęnico, causou um clamor p√ļblico e revolta em todo pa√≠s.

Ameaças

Gustavo é o autor das agress√Ķes e é aguardado pela autoridade policial para responder a inquérito.

A sess√£o de tortura incluiu; tapas, socos, chutes e até uma garrafada na cabe√ßa da v√≠tima. A humilha√ß√£o ainda foi filmada na √≠ntegra por um c√ļmplice de Gustavo e postada nas redes sociais.

s√°bado (5), postagens nas redes sociais come√ßaram a expressar a revolta de populares, havendo até mesmo amea√ßas de repres√°lias contra os agressores. Entre as postagens, algumas sugerem ser de uma fac√ß√£o criminosa (Veja imagem do post ao final do texto), cujos membros estariam se mobilizando para localizar Gustavo e o autor da filmagem do espancamento.

Inquérito

A repercuss√£o com revolta fizeram o caso parar na Pol√≠cia Civil, que agora, investigar o caso através de inquérito instaurado pelo delegado Adil Pinheiro. Surpresos com a repercuss√£o do caso, Gustavo e o c√ļmplice desapareceram.

Preocupado com a repercuss√£o e as amea√ßas, o delegado sugeriu, em entrevistas concedidas à imprensa; "que os infratores se apresentem às autoridades policiais o quanto antes, j√° que h√° riscos evidentes à vida dos acusados".

Inquérito foi instaurado pelo delegado Adil Pinheiro

Adil Pinheiro destacou que o inquérito ter√°, em princ√≠pio, prazo de conclus√£o de 30 dias. As postagens nas redes sociais integram as pe√ßas do inquérito. A v√≠tima j√° foi encontrada pela Pol√≠cia Civil. Segundo o delegado, o agredido est√° assustado e sem confian√ßa em se apresentar para depor.

Segundo informa√ß√Ķes extraoficiais, o caso também j√° seria de conhecimento do Ministério P√ļblico, através da Promotoria Criminal de Tangar√° da Serra.

Manifesta√ß√Ķes

O agressor, Gustavo, e o seu c√ļmplice e autor da filmagem da sess√£o de tortura seguem foragidos, ao menos até a manh√£ desta ter√ßa-feira. Em postagem nas redes sociais, Gustavo disse; "reconhecer os excessos, mas sustentou que a v√≠tima teria 'errado' por estar devendo certa quantia (R$ 500,00) que, segundo ele, n√£o seria apenas, 200, 300 ou 400 reais como falam(?) ele n√£o apanhou de gra√ßa". O post aumentou a revolta na cidade e estado.

Brutalidade das agress√Ķes contra mec√Ęnico revoltaram comunidade e repercutiram em todo o estado.

Gustavo Albanez, segundo informa√ß√Ķes, é filho de um antigo locat√°rio de um posto de combust√≠veis localizado na Vila Goi√°s.

Em nota de esclarecimento nas redes sociais, os propriet√°rios do estabelecimento negaram qualquer tipo de liga√ß√£o familiar ou rela√ß√Ķes de amizade com a pessoa de Gustavo e do seu c√ļmplice, sustentando que n√£o compactuam com o comportamento, nem com a√ß√Ķes de viol√™ncia como a perpetrada pelos infratores.

Abaixo, imagem de ameaças de facção criminosa contra os agressores, em postagem na Rede Social: